Associação do Planalto Beirão é referência nacional diz ministro do Ambiente

2021-07-28

Associação do Planalto Beirão é referência nacional diz ministro do Ambiente

O ministro do Ambiente e da Ação Climática disse hoje que a Associação dos Municípios da Região do Planalto Beirão é referência no país, com capacidade de resposta no tratamento dos resíduos sólidos urbanos superior à média nacional.

“Há aqui enormes desafios à volta dos sistemas de gestão dos resíduos sólidos urbanos e se eu me dirijo particularmente ao Planalto Beirão não é tanto por achar que o desafio do Planalto Beirão é maior, porque ele é grande em todo o lado, é por estar profundamente convencido de que a capacidade de resposta, essa sim, é superior à da média nacional”, disse Matos Fernandes.

O governante falava por videoconferência na cerimónia de aniversário da Associação dos Municípios da Região do Planalto Beirão, que assinalou no dia 20 de março 30 anos da assinatura da sua criação, na altura constituída por nove dos atuais 19 municípios dos distritos de Viseu, Coimbra e Guarda.

“Na altura, interrogámo-nos sobre a capacidade deste sistema intermunicipal, que então ainda era um menino, e o Planalto Beirão tinha de fazer igual quando comparado com o sistema participado do Estado e os municípios provaram bem que a dúvida que então o Governo tinha não fazia sentido”, elogiou.

Neste sentido, disse que este sistema do Planalto Beirão “é hoje, e já o é há muitos anos, um sistema de referência no país”, não só “pelos indicadores que tem, mormente os resultados muito positivos no que respeita à recolha seletiva dos resíduos e embalagens, mas também um exemplo de proximidade às populações e uma referência na boa gestão dos RSU”.

João Pedro Matos Fernandes defendeu que “a boa gestão dos biorresíduos é essencial” e, nesta questão, o ministro disse que “todos têm de ter um sistema, mas, naturalmente, as exigências concretas desse sistema serão diferentes em Santa Comba Dão e em Lisboa”.

Os biorresíduos foram aliás um dos assuntos em destaque nas intervenções dos responsáveis, como o presidente da Câmara de Tondela, anfitrião, José António Jesus, do presidente da Câmara de Santa Comba Dão, que é também presidente do conselho executivo do Eco Beirão, Leonel Gouveia, e do próprio presidente do conselho executivo do Planalto Beirão, Mário Loureiro.

“No âmbito dos biorresíduos, estima-se que a associação dos municípios suporte o potencial de captação de biorresíduos de cerca de 48.000 toneladas por ano, sendo 62% de biorresíduos alimentares e 38% de biorresíduos verdes”, avançou Mário Loureiro.

Este responsável disse que “a recolha seletiva evoluiu cerca de 17 quilos por habitante entre 2014 e 2020, tendo atingido os 37 quilos por habitante em 2020, superando a meta fixada para 2020, que era de 29 quilos por habitante”.

 

Lusa