Taxista acusado de disparar contra bombeiros em Nelas diz que estava "desequilibrado e desesperado"

2023-05-30

Taxista acusado de disparar contra bombeiros em Nelas diz que estava

José Carlos Guerra, taxista de 64 anos, admitiu andar "desequilibrado e desesperado" por não concordar com a divisão de bens feito pelo tribunal aquando do processo de divórcio com a ex-mulher.

"Não podia continuar a ser humilhado e peguei fogo aquilo e não queria que ninguém apagasse", disse esta segunda-feira, 29 de maio, ao coletivo de juízes do Tribunal de Viseu, na primeira sessão de julgamento.

O homem sabia que a 16 de fevereiro do ano passado um agente de execução iria à propriedade, em Vale de Madeiros, no concelho de Nelas, para avaliar o imóvel que depois iria ser colocado à venda e por isso armadilhou a antiga serralharia e incendiou.

"Um carro parou a cerca de 50 metros da minha propriedade e disparei dois tiros para o ar para impedir que o agente de execução entrasse", confessou.

Mais tarde, o arguido, que está em prisão preventiva, escondeu-se numa cave e disparou sobre cinco pessoas. "Disparei três tiros para as três pessoas, que vi que tinham a farda de bombeiros, e que estavam junto ao portão.

Depois disparei mais tiros em direção às agulhetas. Mas não me passou pela cabeça matar ninguém", argumentou. Durante a manhã, o coletivo de juizes quis perceber qual a posição em que estava quando disparou e a que distância estava das vítimas. José Carlos Guerra disparou em cima de um escadote, a partir de um postigo.

Fonte CORREIO DA MANHÂ